quarta-feira, 9 de julho de 2008

Slide de gente grande...



As vezes, em nosso estudo, em nossa execução, não é raro o guitarrista procurar ser exigente consigo mesmo, afinal de contas, a música é uma forma de expressão, e você que é aspirante a músico ou é músico, tende a buscar um meio de melhorar essa expressão, seja pela sua técnica, seja pelo timbre de seu instrumento, seja pela escolha de algum acessório (palhetas, cabos, pedais, cordas, etc).
O que venho hoje publicar aqui é sobre o produto mais importante que usamos em nossos estudos, o SLIDE...

Apesar de já ter publicado algo sobre o slide (tamanho, tipos e diferenças), venho aqui postar sobre os slides de vidro que meu amigo Don Morcego anda fazendo la no Rio, realmente os slides que ele fabrica são fantásticos, além de serem acessíveis a nós, recomendo a todos que, antes de pagarem uma fortuna em slides de vidro ou metal nessas guitar shops, que entre em contato com ele para um orçamento, garanto que vocês irão se surpreender, os slides são feitos de gargalo de vinho, com espessura e tamanho ideal, acabamento perfeito, sendo que você tem a opção de pedir o slide jateado que difere em alguns aspectos sonoros do de vidro polido.

Abaixo segue um bate papo que tive com ele a respeito de vidros:


E ai meu camarada.!!!

Descobri que a principal diferença entre o slide de vidro e o de metal é oriunda da abrasão maior ou menor. O metal é mais abrasivo, e o vidro é menos abrasivo, e isso influência no sustein, portanto, slides de metal possuem mais sustain que os de vidro, o cilindro passa a se comportar como um arco de violino, gerando sustein conforme vibra. Dai minha preocupação em jatear slides de vidro que ficaram mais abrasivos. Esses tem timbre de vidro e sustein de metal, sendo mais adequados a técnica de guitarra com abafamento. Os lisos, sendo menos interferentes nas cordas que não estão em ação, são mais adequados aos adeptos a guitarristas que tocam guitarra com palheta e também violão. Embora pelo apelo estético, as pessoas prefiram o slide polidinho
de vidro ,na guitarra, só uso o vidro jateado. Apesar de ter vendido alguns slides polidos por encomenda, o pessoal fica maluco quando ouve o sustein e o timbre dos slides jateados que são superiores aos industriais que vocÊ encontra por ai.

abraço forte!!!


Contato
Don Morcego
donmorcego@gmail.com

Orkut
http://www.orkut.com.br/Profile.aspx?uid=14263066258511539641

quinta-feira, 5 de junho de 2008

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Master Class....


Gostaria de dividir com vocês que acompanham este blog o quanto fiquei feliz com o resultado do meu projeto (master class de slide), que se realizou no dia 12/abril lá no CEMUSC. Fiquei contente em saber que existem interessados nesta técnica e também em ver que o pessoal saiu de lá satisfeito com a aula.

Muitos que não puderam comparecer por falta de tempo ou outro tipo de compromisso, me questionaram a respeito de uma possível 2ª edição deste Master Class. Pretendo preparar uma 2ª edição mais elaborada sobre o nosso tema mais pra frente, com a vantagem de que eu tenho agora uma experiência um pouco maior em aglomerar alunos com vários níveis técnicos (confesso que é difícil conciliar isso numa aula).

Gostaria também de agradecer a todos os amigos e colegas que me incentivaram e de alguma forma ajudaram a divulgar este evento, não caberia em meu blog os nomes das pessoas que me ajudaram e me ajudam. Um obrigado especial a minha mulher Patricia (sem ela esse blog e tudo que eu faço não existiriam), ao Roberto Terremoto, ao Marcus Mikhail, Edu soliani, Edu Gaspar e claro o Coruja, o Kruger, o Gaucho, a Larissa e a Fernanda da Cracker Blues (sozinho a gente não chega a lugar algum), obrigado de coração.

Marceleza

quarta-feira, 2 de abril de 2008

OTAVIO ROCHA


Talvez por não estar tão perto da música como eu estou hoje e por ser uma época pré-internet, eu tinha muita dificuldade em conhecer todos os músicos ou grande parte dos que tocavam blues, aí que pra mim então apareceu o Blues Etílicos (isso em 199...e alguma coisa) com o álbum “Salamandra” . Do nada resolvi comprar aquele CD e, desde então, passei a adquirir todos os outros da banda, aquela bela cozinha, a gaita, o vocal, a guitarra e, acima de tudo, um som que pra mim era “diferente”, o slide de Otavio Rocha .
Para minha alegria, trago hoje pro Blog para bater um papo esse cara que realmente eu acho um dos mais importantes na cena do Blues no Brasil, é uma das pessoas que mais me inspiraram a começar meus estudos no slide.

Otavio Rocha => Opa Marcelo, blz?
Bem, o que posso dizer sobre o slide guitar é que desde que eu tinha 10 anos de idade eu queria tocar com esse som...vai saber porque né?
Slide em grande parte é um dom, ou você tem facilidade pra tirar um som expressivo, com vibratos e uma boa afinação, ou não tem...
Se da pra aprender? Claro que dá, mas a pessoa tem que ter esse som dentro dela, se não vai ficar que nem papagaio, imitando, e não que nem sabiá, realmente cantando...
Minha técnica é bem pessoal, uso afinação padrão, pra fugir dos clichês ultra mega repetidos desde 1930!
Nada contra eles, sei quase todos, comecei a tocar guitarra com afinação de E aberta, sem nunca ter tocado guitarra tradicional antes.Eles são fundamentais pra se ter vocabulário de blues e rock, mas o que eu vejo por aí é todo mundo tocando igual, sem tentar nada de novo...
O slide é uma ferramenta ultra melódica(George Harrison que o diga!) então ele pode ser muito mais amplo do que em geral as pessoas usam. Por isso que eu digo que tem que querer muito tocar slide pra tocar direito.

Você pode ir aqui: www.myspace.com/bluesetilicos ou www.myspace.com/bluesgroovers
ou www.myspace.com/flavioguimaraes e dar uma sacada...

Além disso, slide é timbre né? Se não souber timbrar o cara vai tirar um som horrível, e nada mais horrível que um som horrível de slide! Hehe... bem, um som horrível de gaita acho que é pior!
Meu equipamento é o amp que tiver no lugar...eu realmente acredito que quem faz a mágica é o mágico e não a cartola...pra ajudar eu sempre levo um pedal delay e um tube screamer, porque em jazz chorus não há mágico que faça aquela joça timbrar!
Quando posso uso meu fender twin 67, ou meu peavey classic 50, de 92, que tem um puta timbre....
bem, Marcelo,acho que é isso aí... qualquer coisa é só me escrever...
abs do Otavio!

Opa Marcelo...
Faltou dizer que uso uma gibson SG e uma flying V ambas com cordas 011,com ação nem muito alta e nem muito baixa, porque não separo o ato de tocar slide do resto das possibilidades da guitarra...tem que estar confortável pra tudo!


Abs do Otavio Rocha

http://www.bluesetilicos.com.br
http://www.myspace.com/bluesetilicos

http://www.myspace.com/bluesgroovers
http://www.myspace.com/flavioguimaraes

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

CARNABLUES MOÇADA!!!!!!!!!


Detesta carnaval?
Só fique em casa se quizer, neste carnaval o nosso amigo Edu Gaspar organizou uma balada pra lá de bacana, o CARNABLUES. Este evento que conta com as melhores bandas de blues da atualidade será realizado no Mr. Blues, tradicional casa de blues de Sampa.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

***FELIZ 2008***

Me ligaram perguntando se o blog tinha morrido, nada disso, eu apenas estava tirando meu merecido descanso neste final de ano.
A propósito, feliz 2008, muita saúde e sucesso a todos.

SUA DIGITAL

Palheta - prós e contras
Para aqueles que ainda se perguntam sobre o uso ou não da palheta para o slide, eu digo: Tanto faz! Como tinha dito antes, isso aqui não é bíblia afinal, a escolha é sua se deseja usar uma palheta ou não.
Eu aconselho a usar tanto a palheta como seus dedos. A primeira vantagem de utilizar a palheta é que, provavelmente, você já sabe como, e por isso é mais confortável. Em segundo lugar, o ataque do plástico da palheta no metal resulta em um som alto e bom. Ela pode, contudo, causar ruídos indesejáveis se você não for cuidadoso.
Sem a palheta, a tendência é que, num primeiro momento, apareça um certo desconforto causado pelo contato de sua pele com o aço da corda (acaba sumindo com o tempo), porém é possível ter o máximo de controle sobre as notas que estão em execução. A desvantagem é que você pode ter de gastar tempo para o aprendizado de uma nova abordagem na mão direita.

Todo músico, de todos os estilos, costumam ter um cacoete, vício, mania ou marca registrada, que percebemos depois de nos acostumarmos a ouvi-los. No slide isso se dá pela época ou região que o determinado fulano viveu (o tal “slideiro”), isso abrange da voz ao fraseado no instrumento. De qualquer forma, o vibrato e o som do vidro na corda estarão lá.

O que veremos agora é o fraseado, o diálogo, que fazemos quando estamos tocando. Não acho que exista algo mais importante do que ouvir todos os caras possíveis que tocam slide (como tinha dito antes) e “sugar” o máximo de frases possíveis que conseguir, pois mesmo sem saber fazer direito o que se ouve, a frase de alguma forma fica na tua cabeça e assim, conseguimos repetir ou fazer algo bem parecido.

Exemplo: Clique aqui e baixe um som que fiz (gravação tosca)

Alguns exemplos:
Robert Johnson e Elmore James usavam muito esta frase no início de algumas de suas composições

Outra frase muito usada por Elmore James

Quando você ouvir algum link interessante de slide assimile a idéia dele, não acho necessário “tirar” exatamente o que está sendo tocado, parta do princípio de que é mais interessante formar um diálogo utilizando as frases do que tocar aquele link do Blind Willie McTell super cabeludo, mas que não se encaixa na música naquele momento.

Apesar de ter postado aqui algumas tablaturas, não sou defensor destas, o slide se aprende na audição de artistas e na troca de informações entre pessoas que se utilizam dele, por isso, aconselho a quem está lendo que procure também outros “slideiros” por aí, para poder aumentar sua biblioteca.

Preparei alguns exercícios simples, mas que poderão dar um pontapé inicial nesse negócio, todos eles possuem um arquivo de áudio para facilitar um pouco (não esqueça, a gravação é tosca, mas o slide tá aí).

Lembre-se, estamos usando a afinação open G (D G D G B d)

1º exercício:
Bom para se treinar a técnica do abafamento de cordas e se você optou por tocar sem palhetas também vai ser útil. Pra falar a verdade é um pouco de tudo.
Esse exercício será nossa “base” (mais pra frente faremos o solo e a base juntos).

Arquivo sonoro do exercício 1 => Clique aqui

2º exercício:
Esta é uma frase muito usada no inicio das músicas onde esta a tônica...



3º exercício:
Outra seqüência muito usada na tônica da música...


Arquivo sonoro do exercício 3 => Clique aqui



4º exercício:
Aqui estamos preparando o IV grau...

Arquivo sonoro do exercício 4 => Clique aqui



5º exercício:
Outra frase que usamos na tônica...

Arquivo sonoro do exercício 5 => Clique aqui




6º exercício:
Nesta frase estamos no V grau e descendemos ao IV grau para poder finalizar na tônica

Arquivo sonoro do exercício 6 => Clique aqui



7º exercício:

Aqui mostro um turn a round simples que finalizaremos o compasso...

Arquivo sonoro do exercício 7 => Clique aqui

Estes exemplos são simples, pretendo inserir muito mais a respeito, sempre elevando o nível de dificuldade, a minha idéia é de que o leitor possa se familiarizar mais e mais com a técnica e a linguagem do slide. Apesar de parecerem chulos, esses exercícios vão dar o alicerce de que se precisa para chegar a um nível mais complicado que pretendo postar aqui. Levando a sério e dando um passo de cada vez, vocês verão que a percepção auditiva das notas ficará mais fácil.

Espero ter ajudado por enquanto. Futuramente, seguindo os conselhos de meu amigo Roberto Terremoto, postarei alguns exercícios com vídeo, que deverão facilitar um pouco mais.


Na próxima postagem montaremos alguns acordes na afinação open G.

Marceleza

MANHAS DO AGRESTE

Se você acha que seu slide fica “bamba” no dedo, aconselho a colar um pedaço de cortiça (rolha de vinho) dentro dele, isso facilitará seu controle e evita que ele voe no olho de algum espectador quando você estiver quebrando tudo no palco ou estudando.
Use cola branca para fixar e procure colocar alguma coisa dentro do slide pra pressionar a cortiça contra o vidro, demora 24hs pra secar.

Abralhos

Marceleza...................